Acessibilidade com LIBRAS e Audiodescrição

A Instrução Normativa nº. 128, de 13 de setembro de 2016, da ANCINE regulamenta o provimento de recursos de acessibilidade visual e auditiva nos segmentos de distribuição e exibição cinematográfica. As salas de exibição comercial devem dispor “de tecnologia assistiva voltada à fruição dos recursos de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais”. Cabe ao distribuidor disponibilizar, ao exibidor, cópia de todas as obras audiovisuais por ele distribuídas, com recursos de acessibilidade; a escolha das tecnologias é livre desde que garanta a inclusão.

Imagem: Blog da Audiodescrição

Válida para cidades com mais de 100 mil habitantes, desde este mês de março (6 meses da publicação da instrução), já se aplicam as normas para legendagem e audiodescrição; até setembro (12 meses da publicação), LIBRAS também deve ser incluída. Até setembro de 2018 (24 meses), todas as salas deverão estar adaptadas.

Trata-se da normatização de inclusão da pessoa com deficiência, iniciada pela Lei 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabeleceu normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e veio finalmente avançando nos últimos 16 anos.

O tema é de enorme relevância, uma vez que, segundo o IBGE: 6,2% da população têm algum tipo de deficiência; a mais frequente, a visual, atinge 3,6% dos brasileiros.

Neste contexto, iniciativas como a Fundação Dorina Nowill para Cegos – já há 70 anos dedicada à inclusão e melhoria da qualidade de vida do deficiente visual – são fundamentais! A partir de patrocínios e doações, já produziram milhares de obras, imprimiram 2 milhões de volumes em braile, e mais de 17 mil pessoas já passaram por sua clínica.

O Catálogo Premium de Tradutores e Intérpretes participa do esforço de nossa sociedade por promover cada vez maior inclusão: desde 2014, nossa rede conta com intérpretes de LIBRAS e Audiodescrição. E para atender melhor a essa nova realidade, vem expandindo sua atuação nessas linguagens em várias regiões do país. Os intérpretes atuam no âmbito cultural (cinema, teatro, exposições, feiras), de saúde (acompanhamento a consultas e exames), educacional, jurídico-legal, e onde mais se fizerem necessários.

Já apresentamos alguns de nossos profissionais dedicados a essa nobre tarefa: Roberto Cardoso, Juliana Fernandes, Naiane Olah, Felix Oliveira Santos, Renato Rodrigues, Mirian Caxilé, Angela Russo, Paloma Bueno Fernandes e Alessandra Ramos estão na matéria do MundoCat sobre os profissionais de nossa rede.

Conheça a Fundação Dorina Nowill. Você pode colaborar para ampliar esta corrente do bem.

Faça parte dessa rede de inclusão!

Baixe o livro Audiodescrição: Transformando Imagens Em Palavras no Blog da Audiodescrição e acompanhe as notícias por lá.
Audiodescrição com dublagem: a acomodação de desafios
Acessibilidade está na moda, está na lei!
Like
1

2 pensamentos em “Acessibilidade com LIBRAS e Audiodescrição”

Deixe uma resposta