“Entre Muros” expõe tragédias pessoais em meio à barbárie coletiva

Like
3

O espetáculo Entre Muros revela um passado pouco conhecido pela maioria da população:  o campo de concentração em que se transformou o Hospital Psiquiátrico Colônia de Barbacena.

Cena de Entre Muros

O grupo Hybris desenvolveu o espetáculo em processo colaborativo, inspirado no best-seller e documentário “Holocausto Brasileiro” de Daniela Arbex e na peça “Em Colônia” de Monalisa Vasconcelos: sua realização é a obra de formatura da Turma 62 do curso profissionalizante do INDAC – Escola de Atores.

O jovem elenco concebeu um trabalho intimista que busca trazer o espectador para um recorte pulsante da confinada experiência trágica particular de cada personagem no primeiro ato. Já o segunto ato personifica o caos da convivência dos internados amontoados e despersonalizados na reificação pelo abandono e pelos maus tratos.

Trata-se de um trabalho corajoso motivado pela recusa em apagar da memória as barbáries de nossa história recente, lembrando que saídas fáceis para ‘livrar a sociedade dos indesejados’ – promover higienização -podem conduzir ao horror ainda hoje, ou a qualquer tempo.  Uma relevante escolha quando forças sociais e políticas parecem nos afastar dos ‘diferentes’ e até mesmo da tolerância…

Colônia – Hospital em Barbacena – MG
Fotografia: Luiz Alfredo / ‘O Cruzeiro’ (1961)

Colônia – Criado pelo governo estadual, em 1903, para oferecer “assistência aos alienados de Minas”, até então atendidos nos porões da Santa Casa, o Hospital Colônia tinha, inicialmente, capacidade para 200 leitos, mas atingiu a marca de cinco mil pacientes em 1961. Durante a ditadura militar, os conceitos médicos simplesmente desapareceram:  desafetos, homossexuais, militantes políticos, mães solteiras, alcoólatras, mendigos, pessoas sem documentos e todos os tipos de indesejados – inclusive, doentes mentais – chegavam no último vagão, o ‘trem de doido’.

A sobrevivência em condições insalubres, sub-humanas, levou mais de 60 mil à morte; 1.853 corpos foram vendidos às faculdades de Medicina ilegalmente.

Livro de Daniela Arbex
Serviço
ENTRE MUROS
No Armazém do Grupo XIXRua Mario Costa, 13, Vila Maria Zélia.
De 11/11 a 3/12. 
Sábados e domingos às 19h30.

Duração: 70 min
Classificação Indicativa: 18 anos.

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) R$20,00 (meia). Ingressos antecipados: compreingressos.com

Capacidade: 24 lugares por sessão.

Ficha Técnica
Elenco: Ana de Vivo Franco, Angelina Trevisan, Bia Miranda, Daniel Paiva, Francesco Minelli, Jéssica Lombardi, Leonardo Portela, Luis Felipe Feltrin, Maira Cardoso, Paula Chande, Rafael Imbroisi e Roberta Melo. Texto e Realização: Grupo Hybris. Direção: Renato Andrade. Assistente de Direção: Junia Lemos Figurinos, Cenário, Iluminação e Trilha Sonora: Grupo Hybris. Designer: Daniel Paiva. Fotos: Allan Bravos.
Saiba mais 
Dica de Teatro: Holocausto Brasileiro É Tema De Espetáculo, Que Estreia No Armazém Do Grupo XIX, Na Vila Maria Zélia 

Holocausto brasileiro: 50 anos sem punição (Hospital Colonia) Barbacena-MG 

Chocante, documentário conta a história do hospício mais cruel do Brasil 

Assista ao Documentário de Armando Mendz e Daniela Arbex (integral, duração: 1h30): Holocausto Brasileiro 

Livro: Holocausto Brasileiro - Vida, genocídio e 60 mil mortes no maior hospício do Brasil
Fotografias de Luiz Alfredo

Like
3

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.